Autoconhecimento e Mundo BANI

Perante um mundo e um dia-a-dia que hoje se apresenta tendencialmente mais BANI do que VUCA, é sempre aconselhável partir da premissa que aquilo que depende de nós, nós podemos mudar e que o que não depende de nós, há que saber adaptarmo-nos.

Ora se o contexto parece mais frágil, poderemos ter que trabalhar capacidades e resiliência; se é ansioso, requer mais empatia e atenção plena; se é não-linear, exige contexto e adaptabilidade; e se é muitas das vezes incompreensível, então pode ser necessário apostar na transparência e também na intuição (com consciência dos riscos).

Nos projetos que a B.PLY tem vindo a desenvolver com os seus Clientes no último ano e meio, em contexto BANI, para além de ações de consultoria e desenvolvimento coletivo (negócio, organização, processos e equipas), no geral, os programas têm também uma forte componente de investimento no desenvolvimento individual de titulares de gestão de topo, de direção e de técnicos mais especializados; nada mais, nada menos do que 39 processos de Coaching&Mentoring.

Não ficamos surpreendidos, ficamos felizes! Na perspetiva do nosso negócio (também é importante e muito bem-vindo, principalmente em plena pandemia), mas sobretudo pelos nossos clientes e destinatários, porque é um forte indicador de gestão e sustentabilidade, o facto de que, a par de investimentos em tecnologia, automação e otimização de processos, estão a apostar nas Pessoas e na sua trajetória de crescimento.

Cada coachee é único, no seu ser, no seu ponto de partida e nas suas ambições, pelo que, com o apoio do respetivo coach, define uma estratégia, objetivos e plano de ação para chegar ao ponto B. A mudança associada não é um momento, é todo um processo, que começa habitualmente por melhorar o autoconhecimento do coachee.

Reconhecer a verdade permite-nos a tomada de consciência.

Escolher agir em conformidade com essa verdade leva-nos à mudança.

E são muitas as técnicas e ferramentas que nos podem ajudar a ter a “fotografia” mais real e mais nítida de nós próprios: análise swot, questionar, escuta ativa, feedback, eneagrama, MBTI – Myers Briggs Type Indicator, estilos de comunicação, rodas de competência, de liderança ou de vida, identificação de crenças, entre outros.

É preciso querer, ter coragem e aceitar com naturalidade que a melhor versão de nós está sempre no amanhã. Dos muitos testes de personalidade disponíveis, aqui fica uma sugestão – o VIA Survey, https://www.viacharacter.org/survey/account/register, para melhor conhecer as suas forças de caráter.

Se o seu desenvolvimento pessoal, o desenvolvimento dos seus líderes e gestores de equipas é mesmo aquilo de que precisa para alavancar o desempenho da sua organização e do seu negócio, contacte-nos. Em conjunto desenhamos um programa à sua medida.