O bom relacionamento em equipa que os cavalos nos ensinam


Os cavalos têm muito para nos ensinar em termos de relacionamento em equipa. Um dos pontos de destaque desses ensinamentos é o estabelecimento de uma comunicação clara, com confiança e respeito.


O cavalo reage no momento, não é dissimulado e não sente necessidade de nos agradar, espelha exatamente os sinais que lhe enviamos, dando um feedback direto, mostrando a nossa eficácia ou ineficácia na comunicação com ele.

Ao serem seres extremamente sensitivos e verdadeiros, os cavalos refletem o que lhes fazemos, para além de sentirem a divergência entre o nosso pensamento e a nossa ação.


A comunicação entre humanos e cavalos é estabelecida por linguagem não verbal, pelo posicionamento do nosso corpo, sendo uma comunicação silenciosa. Cavalos não gostam de pessoas barulhentas - na natureza não fazem barulho porque são presas. Toda a comunicação que não acontece dentro deste formato pode causar problemas comportamentais, deixando por vezes o cavalo confuso, podendo tornar-se agressivo por autodefesa.

Nos cavalos podemos observar que grande parte dos seus problemas comportamentais têm origem numa má comunicação.


No contacto com os cavalos aprendemos a dar maior atenção aos nossos atos e a aplicar de forma consciente a pressão e energia que incutimos na comunicação.


Em ambiente corporativo facilmente falhas e ruídos de comunicação são identificados como fonte de conflitos. Esta questão reforça a importância de estabelecer um conceito de comunicação suportado em empatia, inteligência emocional e flexibilidade. Quando comunicamos devemos estar atentos às nossas necessidades e às do outro, interpretando o que está por trás de cada mensagem e da forma de falar.


No mundo dos cavalos outra curiosidade existe: a manada é matriarcal. É a égua mais velha que organiza o coletivo, que ensina o jovem potro a ser cavalo e que escolhe o garanhão que dá a direção para onde a manada deve ir. É a égua que tem melhor memória sabendo onde existe água e alimento e onde há mais predadores.

Trata-se assim de um modelo de liderança de equipe cooperativo, agregador, de ensino, de aprendizagem baseado na experiência.


Pode esta lição ser também levada para o ambiente corporativo. São os sistemas colaborativos, que quando voltados para o desenvolvimento de ideias inovadoras, potenciam o crescimento das organizações.


A equipa B.PLY fortalecida com "aprendizagens equestres" encontra-se disponível para colaborar no estabelecimento de um melhor relacionamento entre os elementos da equipe da sua empresa.